Últimas

84% das vagas do Mais Médicos já foram preenchidas, informou o Ministério da Saúde


Entre 2013 até 2017, o Brasil pagou à ditadura comunista de Cuba R$ 7,1 bilhões, no âmbito do programa Mais Médicos num acordo feito entre Dilma e Fidel, na surdina, para não confrontar a classe médica brasileira.


84% das vagas do Mais Médicos já foram preenchidas, informou o Ministério da Saúde

Nesta sexta-feira, o presidente Michel Temer anunciou em seu twitter que 7.154 profissionais já foram selecionados pelo programa Mais Médicos. Segundo o Ministério da Saúde, número representa 84% das vagas ofertadas no edital e foram preenchidas em apenas 3 dias. Os médicos poderão se inscrever no programa até o dia 7 de dezembro.
Médicos cubanos começaram, na quinta-feira, 22, a deixar o Brasil em voos de volta para Havana, capital da ditadura cubana, a partir do Aeroporto de Brasília. As viagens aconteceram até este sábado, 24. A previsão é que milhares de profissionais deixem o País até o dia 12 de dezembro.

Os médicos deixam o Brasil, após a ditadura cubana não aceitar as novas condições do presidente eleito, Jair Bolsonaro, para continuar com a parceria, feita na surdina por Dilma Rousseff e Cuba em 2013. Daquele ano até 2017, o Brasil pagou a Cuba 7,1 bilhões de reais, no âmbito do programa Mais Médicos.



“Pelas regras, o Ministério da Saúde transfere ao órgão o valor de R$ 11.520 por profissional. A Opas repassa aos contratados cubanos cerca de R$ 3.000. A diferença fica com o governo de Cuba.”

A principal rejeição foi da ditadura comunista de Cuba, foi o fato de o salário ser repassado integralmente ao profissionais cubanos. Atualmente eles recebem apenas cerca de 25% e não podem visitar suas famílias ou trazê-las para o Brasil.

Nenhum comentário