Últimas

Justiça bloqueará cachê de Belo para pagar mais de R$ 4,7 mi a Denilson


O valor inicial da ação de Belo era de R$ 501 mil. 


A pedido do ex-jogador Denilson, a Justiça determinou o bloqueio do cachê de um show do cantor pagodeiro Belo para quitar uma dívida de mais de R$ 4,7 milhões (sem considerar as correções calculadas desde então, que aumentam a quantia) por quebra de contrato.

A próxima apresentação prevista na agenda de Belo ocorre nesta sexta-feira (26), em São Paulo. Denilson era o empresário da banda Soweto e acusou o cantor de deixar o grupo de forma unilateral. A condenação ocorreu em 2004.

Em novembro de 2017, a Justiça de São Paulo já havia determinado que as principais emissoras de TV do país (Globo, SBT, Record, Bandeirantes, Gazeta e Rede TV!) deveriam depositar em juízo eventuais cachês que seriam pagos a Belo.

O valor inicial da ação de Belo era de R$ 501 mil. Além de ter indeferido a ação do cantor, a Justiça determinou que Belo arcasse com os custos advocatícios da outra parte (Denilson), fixados em 10% do valor da ação.

Após a sentença contra Belo, o jurídico de Denilson ingressou judicialmente informando não ter recebido os R$ 50,1 mil (10%) dos custos advocatícios. Com correções e atualizações, o valor de R$ 50,1 mil subiu para R$ 67 mil.

RELEMBRE OU CONHEÇA UM DOS MAIORES SUCESSOS DO GRUPO SOWETO 
   
UOL Esportes


Nenhum comentário