Últimas

Dinheiro que foi roubado de supermercado bancou tráfico



O dinheiro - cujo montante até o momento não foi revelado- que foi levado no dia 18 do mês passado do setor administrativo de supermercado, no bairro Cohama, em São Luís, foi usado para o pagamento de dívidas oriundas do tráfico de drogas, para bancar festas e ostentar riqueza. Foi o que revelou à polícia Francisco Ricardo Monteiro, conhecido como Bob ou Magnata, de 26 anos, morador do Coroadinho e acusado de ter planejado e executado o crime.


O Estado teve acesso à ocorrência que relata as prisões, na madrugada de sábado,2, de Bob; de José de Ribamar Muniz Veras (vulgo Mangueirão), José Antônio Carlos dos Santos (vulgo Canela) , Tassiano Cordeiro Garcês ( Gordo), Diego Carvalho Memdes (conhecido como Dioguinho), Gilmar Silva Corrêa (conhecido como Careca), Heleno Dias da Silva (conhecido como Heleno) e Taiane Pereira Corrêa (conhecida como Tai). Segundo a polícia, todos os presos têm participação direta ou indireta no assalto.



Durante as prisões, foram recuperados R$ 5 mil na residência de “Heleno”, primo de Bob, na Vila Epitácio Cafeteira, e que seria o valor que restou da parte do assaltante. O restante, segundo ele, foi repassado a traficantes e usado para a promoção de festas.

Em depoimento, Bob revelou ainda que o assalto começou a ser planejado um mês antes da ocorrência. Ele contou que foi apresentado por Mangueirão a José Antônio Carlos dos Santos, vulgo Canela e que trabalhava há vários anos no supermercado como vigilante. Segundo Bob, ele esteve no supermercado no dia 1º de maio deste ano (feriado do Dia do Trabalho) sob a proteção de José Antônio para conhecer as dependências do local. Foi nesta data que Bob observou as posições das câmeras de segurança e, desta forma, planejou com mais exatidão detalhes para o assalto.

Quatro dias após a primeira visita, Bob voltou ao supermercado e esteve nas dependências internas, segundo ele, sem ser percebido. Conforme relato, ele em companhia de outros dois homens (um deles conhecido como Nenê e um segundo homem que teria fugido dias depois de São Luís) efetuaram o assalto.

A polícia informou ainda que, após o assalto, o dinheiro levado do supermercado foi dividido em cinco partes. Durante a divisão, houve um desentendimento entre Mangueirão, Bob e José Antônio. Mangueirão alegou que deveria receber mais por ter apresentado o vigilante a Bob. Todas as pessoas presas no caso foram encaminhadas para o Complexo de Pedrinhas, onde aguardarão pelos procedimentos judiciais.

Relembre De acordo com a polícia, o assalto ocorreu às 11h no setor de tesouraria do supermercado. Em nota, a assessoria do supermercado informou, na ocasião, que “não houve abordagem a clientes”, como chegou a ser divulgado. Os assaltantes usaram o uniforme da empresa e tiveram acesso à tesouraria por uma das saídas de emergência.

O Estado do Maranhão

Nenhum comentário