Últimas

Patriotas limparam a fachada do apartamento da ministra Carmem Lúcia após ataque de militantes ptistas



Após ataque de terroristas militantes ptistas do MST/CUT e Levante Popular da Juventude ao prédio de residência da ministra Cármen Lúcia, presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), na sexta-feira, 06, em Belo Horizonte-MG, patriotas favoráveis a prisão de Lula reuniram-se na manhã de sábado (7) para limpar a frente do prédio que também teve vidraças quebradas. Flores, faixas balões e uma bandeira do Brasil, também foram deixadas no local.



Segundo testemunhas, dada a violência no momento do ataque de vandalismo, se a ministra tivesse aparecido para se quer tentar conversar ou fosse pega de surpresa, provavelmente seria atacada

 A mobilização de apoio à ministra foi organizado pelo Movimento Brasil Livre (MBL) e pelo Partido Novo, mas também teve a participação de voluntários e moradores.  Motoristas que passavam local buzinavam em sinal de apoio. Os voluntários utilizavam equipamentos com jatos de água de alta pressão para limpar a tinta vermelha usada no ato terrorista.


MOTIVAÇÃO DO ATAQUE

O voto da ministra, que preside o STF, foi decisivo para negar a Lula um habeas corpus preventivo, o que culminou no decreto de prisão do petista pelo juiz Sergio Moro. Cármem Lúcia não estava no apartamento na hora do ato de vandalismos. A polícia está no local.

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) assumiu a autoria do ataque terrorista e disse que planejou a ação assim que a ministra deu o voto minerva para negar habeas corpus ao petista em julgamento no STF – eles alegam que Cármen Lúcia não deveria ter votado por ser presidente da Corte. Testemunhas relatam que havia bandeiras do PT e da Central Única dos Trabalhadores (CUT). Havia cerca de 400 militantes.

Nenhum comentário