Últimas

Pai e madastra de Isabella Nardoni pedem redução de pena



Acusados pela morte de Isabella Nardoni, o pai Alexandre Nardoni e a madrasta Ana Carolina Jatobá, pedem redução de pena no STF (Supremo Tribunal Federal).

A menina, que na época tinha 5 anos, foi jogada pela janela do apartamento em que morava com pai e madrasta em 2008. Segundo o advogado do casal, Roberto Podval, a repercussão do caso na mídia fez com que as penas aplicadas "fugissem da técnica e da prática jurídica nacional" e usa essa alegação para tentar reduzir a pena.
 A defesa aguardou propositalmente a diminuição da pressão social para fazer o pedido do habeas corpus. O advogado entrou com o pedido na última sexta-feira (2) no STF. O caso está em segredo de justiça e o Supremo não pode divulgar mais informações, mas as iniciais do pai e da madastra estão no pedido. O relator do caso é o ministro Dias Tóffoli. O pai de Isabella Nardoni, Alexandre, cumpre a pena de 30 anos e dois meses pelo crime em regime fechado.

 Já a madastra, Ana Carolina Jatobá, que cumpria a pena de 26 anos e oito meses em regime fechado, teve progressão de pena em julho de 2017. Desde a data, a madastra cumpre a pena em regime semiaberto. Assim, ela pode deixar a penintenciária cinco vezes ao ano para saídas temporárias. Além disso, nesse tipo de regime, a detenta pode sair diariamente da prisão para trabalhar, mas deve passar as noite na cela.

O pai está na Penitenciária Doutor José Augusto Salgado, a P2. E Ana Carolina está na Penitenciária Santa Maria Eufrásia Pelletier.

R7


Nenhum comentário