Últimas

Mãe que jogou bebê da ponte do S. Francisco foi estuprada e tem problemas mentais


Carla sofre de distúrbios psiquiátricos, possivelmente causados por depressão, e já esteve internada por três vezes na Clínica São Francisco.



Carla Regina Mendes Pereira, 23 anos, a mãe que jogou o filho de sete meses da ponte do São Francisco, na tarde de domingo (18), teria engravidado depois de um estupro na Clínica São Francisco, nas proximidades do Socorrão II, em 2017. A revelação foi feita pelo seu padrasto, identificado como Paulo.

Ele revelou que Carla sofre de distúrbios psiquiátricos, possivelmente causados por depressão, e já esteve internada por três vezes na Clínica São Francisco.

Depois que estava com seis meses de gestação, a família resolveu levá-la para casa e fazer denúncia pelo descaso e omissão da clínica.



Carla Regina foi autuada em flagrante por tentativa de homicídio e deve ficar em cela isolada. Ela será submetida a exame de sanidade mental.

O bebê foi socorrido por dois policiais militares que retornavam de um treino de futebol, em uma moto, quando perceberam dois homens com a mãe, no alto da ponte, informando que o bebê havia sido jogado na maré. 

De imediato, os dois entraram na lama, que chegava à cintura, e salvaram o bebê, que estava enterrado na lama até o pescoço e poderia ter morrido sufocado pela lama se não tivessem chegado à tempo.  

O bebê está internado no Socorrão e passa bem.





Nenhum comentário