Últimas

CGU vê irregularidades em serviços de TI no ministério do Trabalho




O Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU) identificou superfaturamentos e não execução de serviços em contrato assinado pelo Ministério do Trabalho na gestão do ministro Ronaldo Nogueira, que pediu demissão do cargo na tarde de quarta-feira,27.

Iniciativas dentro da pasta que permitiram a continuidade do contrato com a empresa Business to Technology (B2T) contaram com a participação direta do ministro, em meio a vários alertas de irregularidades emitidos pela CGU, diria o relatório.

O relatório tem 107 páginas e detalha como o Ministério do Trabalho direcionou a licitação para a B2T, superdimensionou os serviços contratados, superfaturou licenças e horas trabalhadas, pagou por trabalho contratado usando uma metodologia vetada por instrução normativa do governo e ignorou os sucessivos alertas emitidos pela CGU, diz o jornal. Em alguns casos, a hora trabalhada chega a custar R$ 1.250. 

 Ronaldo Nogueira pediu demissão da pasta e agora assumirá Pedro Fernandes do PTB-MA.





Nenhum comentário