Últimas

"Deboche!", disse pres. da OAB à Min. dos Direitos Humanos sobre pedido de aumento salarial


O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, fez críticas ao pedido da ministra dos Direitos Humanos Luislinda Valois para que o seu salário aumente para R$61 mil ultrapassando o teto estabelecido pela Constituição Brasileira., alegando trabalho escravo. Ela já ganha R$ 33.300 mil. 

Usar o passado nefasto de escravagismo para obter privilégio ilegal é um deboche'.
Luislinda foi destaque as redes sociais no feriado de finados após o pedido, quando foi criticada duramente por internautas pela desfaçatez usada para pedir o dobro de aumento no salário usando a desculpa de trabalho escravo ao qual se submete à frente da pasta. 


Após a repercussão negativa no Brasil, a ministra desistiu do pedido. O salário de Valois é de R$ 30,4 mil pela aposentadoria de desembargadora do Tribunal de Justiça da Bahia. Como ministra, ela recebe R$ 3,3 mil e tem descontados R$ 27,6 mil, chamado de "abate teto". 

 No entanto, por meio de nota, a pasta divulgou a desistência do pedido. "Considerando o documento sobre a situação remuneratória da ministra Luislinda Valois, o Ministério informa que já foi formulado um requerimento de desistência e arquivamento da solicitação", informou nota divulgada pela assessoria do Ministério dos Direitos Humanos.


Nenhum comentário