Últimas

Programas de transferência de renda não reduziram pobreza, diz ministro

O ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, afirmou nesta terça-feira que os programas de transferência de renda criados nos últimos 15 anos não reduziram a pobreza no país. 

Em discurso no III Fórum Nacional do Comércio, ele disse ainda que o resultado do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) para a população de baixa renda foi “pífio” e que 50% dos beneficiários do Bolsa Família que aderiram ao programa não conseguiram terminar o curso. 

Terra afirmou que os programas de transferência de renda, como o Bolsa Família e o Benefício de Prestação Continuada (BPC), visam garantir recursos para que as pessoas possam “pelo menos se alimentar”. 

E que o número de famílias que precisam desses recursos aumentou de 5 milhões em 2005 para 15 milhões em 2015, um salto. -Se nós temos 10 milhões de famílias a mais que precisam de R$ 180 para não passar fome, nós estamos num país que não resolveu o problema da pobreza. Os 10% mais ricos continuam concentrando mais de 55% da riqueza. 

Com programas de transferência de renda não se muda a questão da pobreza - disse.

Ele afirmou que, por isso, o governo tem criado programas alternativos para possibilidar que as pessoas consigam parar de depender de transferência de renda, entre eles o Criança Feliz e o Progredir. Esse último, por exemplo, dá prêmios a prefeitos que dá condições às pessoas para saírem do Bolsa Família, ajudando na qualificação profissional.


Nenhum comentário